É um exame que registra a atividade elétrica do coração.

A informação registrada no ECG representa os impulsos elétricos do coração com informações valiosas das fases de contração e relaxamento.

As arritmias são divididas em três grandes grupos:

  • Ritmos irregulares, basicamente por extra-sístoles
  • Taquicardias (ritmos acelerados)
  • Bradicardias (ritmos lentos)

É um exame antigo e de simples obtenção, entretanto insubstituível e de muito valor.

Anormalidades do ritmo cardíaco são diagnosticadas com precisão pela eletrocardiografia. A importância clínica deste diagnóstico, ao contrário das cardiopatias congênitas, é o tratamento das arritmias.

O sistema de condução está funcionalmente maduro ao redor da 16a. semana e é composto pelos seguintes elementos:

• Nó sinusal

• Vias preferenciais atriais (feixe internodal anterior, médio e posterior)

• Nó Atrioventricular (A-V)

• Bifurcação dos ramos do Feixe de Hiss em Direito e Esquerdo

• Rede ou fibras de Purkinje

• Miocárdio ventricular.

O nó sinusal encontra sua própria artéria para irrigação na 10a. semana e apresenta um pouco menos de colágeno quando comparado ao nó sinusal da pessoa adulta. O nó A-V é formado na 10a. semana separadamente do feixe de Hiss, sendo que a união de ambos é feita secundariamente.

Após o nascimento, o estímulo elétrico ao se espalhar pela musculatura atrial gera a onda “P” no eletrocardiograma e provoca a contração desta musculatura. Da mesma forma, o impulso elétrico ao se espalhar pela musculatura ventricular gera o complexo “QRS” no eletrocardiograma, seguido pela contração ventricular. Em vida fetal o estudo das arritmias é feito pela análise dos eventos mecânicos que sucedem os impulsos elétricos, uma vez que tecnicamente não é possível obter traçados eletrocardiográficos de boa qualidade técnica (onda “P” em fetos não é captada). A experiência mundial tem mostrado uma boa correlação entre o fenômeno elétrico e mecânico, sendo raras as situações de dificuldade diagnóstica.

A principal característica da fisiologia miocárdica, determinante dos mecanismos de arritmia é a Automaticidade, que deve ser entendida como uma propriedade apenas das fibras miocárdicas especializadas que formam o sistema de condução e não do miocárdio contráctil como um todo. Refere-se à origem rítmica espontânea dos impulsos que são conduzidos para todas as partes do coração.

O miocárdio contráctil, por sua vez, apresenta como característica o período refratário relativo e absoluto. O período refratário absoluto é quando a fibra miocárdica, uma vez contraída, apresenta um intervalo de tempo finito durante o qual não pode ser estimulada novamente. Quando este tempo termina, começa o período refratário relativo, quando volta a apresentar resposta frente a um estímulo, porém não completa. É o período refratário absoluto que protege o coração das arritmias.

Arritmia resulta portanto, de uma automaticidade anormal, condução anormal ou da combinação de ambos.

As arritmias são divididas em três grandes grupos:

• Ritmos irregulares, basicamente por extra-sístoles

• Taquicardias (ritmos acelerados)

• Bradicardias (ritmos lentos)

  • O exame precisa de algum preparo especial?
    Não

  • Tempo para saber o resultado:
    Imediato

  • Exames e consultas:
    (011) 3254-1010

convênios atendidos